31 de agosto de 2011

Mesmice

Putz, que saco! Cancelaram o curso de pós que eu me inscrevi pois não atingiu o número mínimo de inscritos. Isso significa que a minha vida vai ficar na mesmice até que eu resolva se vou tentar outro curso, em outra instituição, assim que abrirem inscrições, ou se faço aulas de teatro, artesanato...

É broxante viver sem perspectivas.
Sem mais.

30 de agosto de 2011

Como tem gente louca nessa mundo

Saiu na Super Interessante uma lista de "ensinamentos" (dá uma olhada) que o ditador da Líbia impunha aos pobres coitados daquele país. Posso dizer, com toda certeza, que após ler um pouco mais sobre o que se passa daquele lado do globo, apoio e muito os rebeldes que o colocaram pra correr. Na boa, ele merece.

Uma das coisas mais absurdas que li foi isso aqui:
“A mulher é uma fêmea e o homem é um macho. De acordo com os ginecologistas, a mulher é menstruada ou está doente todos os meses, enquanto que o homem, sendo macho, não é menstruado e não está sujeito ao período mensal de hemorragia. (…) Quando o ciclo menstrual para é porque a mulher está grávida. Se ela está grávida, fica, devido à gravidez, doente durante cerca de um ano, o que significa que todas as suas atividades naturais ficam seriamente reduzidas até ela parir o seu bebê. (…) Como o homem não engravida não está sujeito às doenças que a mulher, sendo fêmea, sofre.”


Ei, Kadafi, é isso o que você pensa sobre as mulheres? Doente é você que não sabe nada sobre respeito ao próximo. Se páh eu te pegar por aí você vai tomar uma surra que jamais vai esquecer! Saiba que mulher na TPM é pior que o capeta.

25 de agosto de 2011

Aprenda essa lição

Ontem eu estava conversando com a colegagem sobre viagem de avião. Cada um contou a sua experiência e tal. Teve gente que nunca viu turbulência, teve gente que só viajou em avião bimotor. Teve gente que fez viagem internacional e teve quem perdeu bagagem. Muitas histórias compartilhadas...
Uma coisa foi unanimidade: Se der uma merda você tem MUITA consciência que vai morrer. E uma visão clara de morte nos dá outra perspectiva de vida. E ter uma segunda chance faz a gente mudar certos comportamentos.
Recebi esse vídeo por e-mail e cabe ao tema que foi debatido. E eu que falava que quem nunca passou por uma turbulência não sabe o que é adrenalina na vida... Ledo engano.


video

24 de agosto de 2011

Começa logo!

Gente, tomei vergonha na cara e me inscrevi num curso de especialização. Vou voltar a estudar depois de quase cinco anos sem fazer NADA. É bom fazer alguma coisa, atualizar os conhecimentos e tal. E espero que ajude a melhorar o lado profissional também.
A princípio, era pra me matricular essa semana e começar as aulas dia 03/09, mas recebi um e-mail dizendo que prorrogaram as inscrições, matricula só semana que vem e aulas a partir do dia 17/09.
O lado bom é que começa depois do pagamento, logo, vou ter dinheirinho pra gastar no shopping depois da aula.

Tô na expectativa.

23 de agosto de 2011

Quem vai?

A Orquestra Sinfônica da Universidade Estadual de Londrina realizará um concerto na próxima quinta-feira, 25, às 20h30, no Cine Teatro Universitário Ouro Verde. A  entrada é na faixa e vai ser mais um puta espetáculo. Vale a pena.


Quem tá a fim de ir? Dá uma olhada no programa aí e se anima!



PROGRAMA
 
Oscar LORENZO FERNANDEZ (1897-1948)
Batuque - “Dança de Negros” (da Suíte Brasileira “Reisado do Pastoreio”)


José GUERRA VICENTE (1906-1976)

Concerto para Trompete

I. Allegro vigoroso
II. Andante calmo (nostálgico)
III. Allegro

Solista: Heinz Schwebel, trompete


INTERVALO

  
Jean SIBELIUS (1865-1957)
Sinfonia nº 1 (Op. 39) em Mi menor
I. Andante ma non troppo - Allegro energico
II. Andante (ma non troppo lento)
III. Scherzo (Allegro) - Lento (ma non troppo)
IV. Finale (quasi una Fantasia): Andante - Allegro - Andante assai - Allegro molto come prima - Andante (ma non troppo)

22 de agosto de 2011

Pérolas da semana

Essa eu ouvi no mercado. Um casal com uma criança encontra um amigo:
O amigo: E aí, essa aí é sua filha?
O pai: É sim?
O amigo: Que bonitinha. Como um cara feio que nem você teve uma menina tão bonita? Não é filha tua não!
O pai: Claro que é! Eu sou bonito, sou igual ao Francisco Cuoco! (Detalhe: mó negão)
A mãe: Huahuahuahua... Claro que não! Você parece mais o Cumpadre Washington!!! huahuahuahuahua

Fui rir lá longe.

________________________________________________________________

Um amigo meu veio em casa com um amigo dele. Ruivão, sardento que eu não conhecia:
Otávio: Oi, Faby! Esse é o Gustavo.
Fabiane: Tudo bem? Gustavo, vulgo Ferrugem?
Otávio: Não bee... É Grampola mesmo!!! Hahahahahaha

Gente, quem lembra da Grampola?


Espetinho de cachorro

Sou contra os maus tratos aos animais mas na boa: tem dias que eu tenho vontade de vender a minha cachorra pros chineses fazerem espetinho.
Não dá pra ser feliz assim. Compramos uma capa de sofá nova, um tapete novo, uma cortina nova, tudo para substituir o que ela já havia estragado. E advinha o que ela fez? Esperou eu ir dormir para começar a festa. Já abriu um buraco na capa nova e continuou cavando um buraco no sofá. Esperou que eu saísse para comer a franja do tapete novo.
Se eu chegar em casa hoje e achar alguma coisa estragada, vou fazer linguiça de cachorro!

Que ódio!

18 de agosto de 2011

Não vale a pena

Tive um sonho interessante essa madrugada. Sonhei que meu irmão quebrava o meu celular e eu ficava emputecida. Minha cachorra rasgava o meu tapete novinho e eu ficava com mais raiva ainda. Um amigo meu vinha me visitar e pra ajudar a minha casa estava virada numa zona.
Eis que meu amigo chega, e quem é meu amigo? Anderson Spider Silva. Ele vinha até a minha casa só pra me zoar. Pra me chamar de sardinha e o escambau, só por que meu Santos só tá levando sarrafada no Brasileirão. E eu deixei, por uma questão de sobrevivência, sabe como é. Depois ele me falou que sentir raiva não vale a pena. Que das próximas vezes que alguém me aporrinhar, que eu ficar cheia de ódio, é para eu relevar, por que não vale a pena. Que deixar pra lá todos esses aborrecimentos fazem parte da sobrevivência.

FIM

Que papo cabeça para um sonho, não?

17 de agosto de 2011

Políticos do k@­r@£▒ø

Putz, que raiva que eu tenho de políticos! Da maioria deles. Só não peguei raiva ainda daqueles que não conseguiram se eleger. Em geral são um bando de sangue-sugas, corruptos, que não fazem nada o dia inteiro. Não estão nem aí pras pessoas que os elegeram e só pensam neles.
Aqui em Londrina, estão querendo aumentar o número de vereadores na Câmara. Fala sério!? Acho que a quantidade que tem, tá bom demais. CHEGA!
Mas, fiquei sabendo que vamos ter a oportunidade de dar o troco.

"O Grupo Amigos de Londrina, formado por profissionais liberais e representantes de diversos setores da sociedade, quer reunir 40 mil assinaturas em um abaixo-assinado pela diminuição do número de vereadores na cidade. A proposta é a redução de 19 para 15 cadeiras no Legislativo. Segundo levantamento realizado pelo grupo, com 15 vereadores Londrina economizaria cerca de R$ 890 mil/ano, que poderiam ser aplicados em outras áreas como saúde e educação. A intenção é colher as assinaturas e levar o documento até a Câmara. O lançamento da campanha será no próximo sábado, às 9 horas no calçadão. (Amanda de Santa)"


Já tenho programa para sábado. Vou até o calçadão só para colocar o meu nome na lista. Não precisa nem diminuir. Só não aumentando, tá bom demais! Si páh, vou entrar para esse grupo aí...

16 de agosto de 2011

Dona Centopéia

Gente, eu gosto tanto de sapatos! Sapatos e bolsas. Me controlo pra não gastar todo o meu rico dinheirinho com isso e estou até conseguindo, mas estou me coçando pra comprar pelo menos 1 item da Loja Melissa.
Tem cada coisa linda. Tanto nos lançamentos quanto no bazar.



E pensar que antigamente tinha só a Melissa Aranha e olhe lá. Dá vontade de comprar uma de cada...

15 de agosto de 2011

Princípios básicos

Quando eu era criança, meus pais tentaram me dar educação. Tentaram fazer de mim uma lady. Algumas coisas eu aprendi, outras passaram batido.
Ficaram os princípios básicos. Dizer "com licença", "por favor", e "obrigado". Quando chegar em algum lugar, cumprimentar as pessoas que estão no recinto e quando se retirar, se despedir. Respeitar os mais velhos, ouvir mais e falar menos (é difícil mas eu sempre tento) e não envolver a mãe dos outros nas nossas confusões (essa é mais fácil. Também tenho mãe).
Acontece que nem todo mundo recebeu essas orientações e fica dificil lhe dar com certas situações em que esse tipo de gente nos mete. Paciência é algo que me falta e dependendo da ocasião, me segurar para não esquecer todos os princípios básicos fica muito, muito difícil.
Você não pode exigir ser bem tratada se não partir de você o 'bem tratar'. É a lei da semeadura. É dando que se recebe. Isso eu aprendi vivendo. Aprendi também que do alto dos seus dezoito aninhos você não sabe nada do que pensa saber. Que você é tão sem noção quanto na época em que tinha 14, mas agora você se acha adulta por que pode fazer tudo o que quer sem pedir permissão pro pai ou pra mãe.
E outra coisa, se cunhada fosse pra ser legal, salvo raras exceções, não começaria com CU.

12 de agosto de 2011

Ai que loucura!!!

Gente, eu poderia bem vir aqui, ligar o computador e ficar hooooooras digitando reclamações sobre cuesta vida maledeta. Mas não. Chega!
Hoje quero falar de coisas boas. Estou numa vibe "Otimismo que contagia - Coca-Cola".
Só ver o lado ruim das coisas e viver reclamando só atrai coisa ruim pra dentro de nossa vida. Tudo bem que tem horas que a gente tem que colocar tudo pra fora, desabafar e viver feliz para sempre, mas poxa, vamos dizer coisas boas também.
Tive um bom momento no trabalho essa semana. Finalmente, depois de TRÊS meses tentando explicar uma planilha para uma pessoa, ela finanmente captou o raciocínio. Coisinha simples. Equação de primeiro grau.
Tive vários bons momentos com o meu amor essa semana. Ele sempre faz café para mim, lava a louça da janta e me ajuda com o serviço xarope de casa.
Tive um bom momento na minha conduta. Tive a chance de ir ao centro gastar até o ultimo níquel, mas preferi ficar em casa, só vendo filminho.
E são pequenos momentos de felicidade que tornam a vida da gente incrível.

11 de agosto de 2011

Por que as mulheres sempre vão juntas ao banheiro?


Essa eu recebi por e-mail. Desconheço a autoria, mas me diverti, me identifiquei com algumas situações e ri um pouco. Então, compartilho com vocês uma grande resposta que pode mudar o rumo da humanidade:

“O grande segredo de toda a mulher, com relação aos banheiros é que, quando pequena, quem a levava ao banheiro era sua mãe. Ela ensinava a limpar o assento com papel higiênico e cuidadosamente colocava tiras de papel no perímetro do vaso e instruía:
‘Nunca, nunca sente em um banheiro público’
E, em seguida, mostrava “A Posição”, que consiste em se equilibrar sobre o vaso numa posição de sentar, sem que o corpo, no entanto, entre em contato com a privada.
“A Posição” é uma das primeiras lições de vida de uma menina, super importante e necessária, e irá nos acompanhar por toda a nossa existência. No entanto, ainda hoje, em nossa vida adulta, “A Posição” é dolorosamente difícil de manter quando a bexiga está quase estourando.
Quando você TEM que ir ao banheiro público, você encontra uma gigantesca fila de mulheres, o que faz você pensar que o Brad Pitt deve estar lá dentro. Você se resigna e espera, sorrindo para as outras mulheres que também estão com braços e pernas cruzados na posição oficial de “estou praticamente me mijando”.
Finalmente chega a sua vez – isso se não entrar a típica mamãe com a menina que não pode mais se segurar e você fizer seu papel de boa samaritana…
Você então verifica cada cubículo por debaixo da porta para ver se há pernas. Todos estão ocupados. Finalmente, um se abre e você se lança em sua direção quase puxando a pessoa que está saindo.
Você entra e percebe que o trinco não funciona (nunca funciona!!)… Não importa: você pendura a bolsa no gancho que há na porta e se não há gancho (quase nunca há gancho!!), você inspeciona a área… o chão está cheio de líquidos não identificados e você não se atreve a deixar a bolsa ali, então você a pendura no pescoço enquanto observa como ela balança sob o teu corpo, sem contar que você é quase decapitada pela
alça porque a bolsa está cheia de bugigangas que você foi enfiando lá dentro, a maioria das quais você não usa, mas que você guarda porque ‘nunca se sabe’…
Mas voltando à porta…
Como não tinha trinco, a única opção é segurá-la com uma mão, enquanto, com a outra, abaixa a calcinha com um puxão e se coloca “na Posição”.
Alívio…… Ahhhhhh….. finalmente…


Aí é quando os teus músculos começam a tremer…
Porque você está suspensa no ar, com as pernas flexionadas e a calcinha cortando a circulação das pernas, o braço fazendo força contra a porta e uma bolsa de 5 kg pendurada no pescoço.
Você adoraria sentar, mas não teve tempo de limpar o assento nem de cobrir o vaso com papel higiênico. No fundo, você acredita que nada vai acontecer, mas a voz de tua mãe ecoa na tua cabeça – ‘jamais sente em um banheiro público!!!’ – e, assim, você mantém “A Posição” com o tremor nas pernas…
E, por um erro de cálculo na distância, um jato finíssimo salpica na tua própria bunda e molha até tuas meias!! Por sorte, não molha os sapatos. Adotar “A Posição” requer grande concentração. Para tirar essa desgraça da cabeça, você procura o rolo de papel higiênico, maaassss, para variar, o rolo está vazio…! Então você pede aos céus para que, nos 5 kg de bugigangas que você carrega na bolsa, haja pelo menos um miserável lenço de papel. Mas, para procurar na bolsa, você tem que soltar a porta. Você pensa por um momento, mas não há opção…
Assim que você solta a porta, alguém a empurra e você tem que freiá-la com um movimento rápido e brusco enquanto grita OCUPAAADOOOO!!!


Aí você considera que todas as mulheres esperando lá fora ouviram o recado e você pode soltar a porta sem medo, pois ninguém tentará abrí-la novamente (nisso nós, as mulheres, nos respeitamos muito) e você pode procurar seu lenço sem angústia. Você gostaria de usar todos, mas percebe quão valiosos eles serão em casos similares e você guarda um, por via das dúvidas. Você então começa a contar os segundos que faltam para você sair dali, suando porque você está vestindo o casaco já que não há gancho na porta ou cabide para pendurá-lo. É incrível o calor que faz nestes lugares tão pequenos e nessa posição de força que parece que as coxas e panturrilhas vão explodir. Sem falar do soco que você levou da porta, a dor na nuca pela alça da bolsa, o suor que corre da testa, as pernas salpicadas…
A lembrança de sua mãe, que estaria morrendo de vergonha se a visse assim, passa em sua cabeça… sua bunda nunca tocou o vaso de um banheiro público porque, francamente, ‘você não sabe que doenças você pode pegar ali!!’.


…Você está exausta. Ao ficar de pé você não sente mais as pernas. Você acomoda a roupa rapidíssimo e tira a alça da bolsa por cima da cabeça!…


Você, então, vai à pia lavar as mãos. Está tudo cheio de água, então você não pode soltar a bolsa nem por um segundo. Você a pendura em um ombro, e não sabendo como funciona a torneira automática, você a toca até que consegue fazer sair um filete de água fresca e estende a mão em busca de sabão. Você se lava na posição de Corcunda de Notre Dame para não deixar a bolsa escorregar para baixo do filete de água… O secador, você nem usa. É um traste inútil… Você seca as mãos na roupa porque nem pensar usar o último lenço de papel que sobrou na bolsa para isso.


Você então sai. Sorte se um pedaço de papel higiênico não tiver grudado no sapato e você sair arrastando-o, ou pior, a saia levantada, presa na meia-calça, que você teve que levantar à velocidade da luz, deixando tudo à mostra!
Nesse momento, você vê o seu amigo que entrou e saiu do banheiro masculino e ainda teve tempo de sobra para ler um livro enquanto esperava por você.


‘Por que você demorou tanto?’, pergunta o idiota.


Você se limita a responder: ‘A fila estava enorme’.


E esta é a razão porque nós, as mulheres, vamos ao banheiro em grupo. Por SOLIDARIEDADE, já que uma segura a tua bolsa e o casaco, a outra segura a porta e assim fica muito mais simples e rápido já que você só tem que se concentrar em manter “A Posição” e a dignidade.

9 de agosto de 2011

Tem coisas que só acontecem comigo...

Ou não.
Eu achava que estava cagada de urubu dentro dessa empresa vital, mas acabo de descobrir que não é privilégio meu passar raiva de vez em quando. Aconteceu com dois ou três colegas.
Passei o final de semana mais dura que pau de tarado. Não recebi o salário e xinguei MUITO. Cheguei segunda e fui atrás de explicações. Quem sumiu com o meu dinheiro?
Até agora não sei. Só sei que finalmente consegui pagar as minhas contas. Agora tô bem, tô feliz.

FIM

6 de agosto de 2011

Chiquinha, dengosa.

Nossa cachorra pensa que é gente. Ela desenvolveu hábitos e manias, fora que demonstra ter uma grande personalidade.
Ela percebe quando a gente vai sair de casa antes mesmo de estarmos prontos para tal. Percebe e fica fazendo cara de abandono, encostando a cabeça na gente e olhando só com o cantinho do olho, tipo o Gato de Botas do Shrek. E sabe também quando vamos levá-la para passear. Aí ela pula e faz festinha. E  pula alto, precisa ver! E na rua, ela quer correr, faz força com a corrente tentando arrastar a gente para correr com ela. Se vem um cachorro maior, ela enfia o rabinho entre as penas e se esconde atrás de nós. Se ela se cansa de caminhar, começar a pular, pedindo colo.
Ela sabe onde guardamos a comida dela. E quando fica com fome, fica ali cheirando o vão da porta do armário. E está há alguns dias sem comer sofá, chinelo ou coisa que o valha. Ainda bagunça quando esquecemos o lixo ao alcance dela. Mas é bem menos bagunça do que antes...
Acho que a Chiquinha está ficando mocinha!

Quer passear?

5 de agosto de 2011

Pérolas da semana

Hoje, sexta-feira, desliguei o despertador e me virei para dormir mais cinco minutinhos. Dormi mesmo 40 minutos a mais e cheguei um pouco atrasada no trabalho.

Miriam: Oi Faby! Pensei que você nem iria vir hoje.
Fabiane: Por?
Miriam: Por que geralmente você chega mais cedo.

________________________________________________________________________


Miriam: Vontade de comer lanche
Fabiane: Eu também.
Miriam: Não posso comer lanche esse mês
Fabiane: Ramadã?
Miriam: Capaz. Minha alergia mesmo.

4 de agosto de 2011

Tô ficando velha

Não é de hoje que venho percebendo que estou ficando velha. E não é velha com cara e jeito de andar de idosa, são os hábitos mesmo.
Até pouquíssimo tempo atrás eu era uma pessoa que poderia ir tranquilamente para a balada que no outro dia estaria inteiríssima. Agora, coitada de mim, se vou deitar um pouco além do habitual no outro dia fico podre, caindo de sono. Já não tenho mais cabeça pra ficar até tarde na rua. Acho que está acabando o gás, a energia...
Será que alguém tem a fórmula secreta para eu não decair de vez?

3 de agosto de 2011

Lembrei de uns "amigos"

Outra piadinha que recebi. Essa me fez lembrar de alguns colegas de setor.

"Num escritório trabalhavam três mulheres que tinham uma chefe. Todo dia elas notavam que a chefe saía mais cedo.
Um dia todas decidiram que, quando a chefe saísse, elas fariam o mesmo. Afinal, depois de sair, a chefe nunca mais voltava, nem dizia mais nada, por isso estariam seguras. E porque é que também não poderiam ir para casa mais cedo?
A morena ficou absolutamente radiante por ir para casa mais cedo. Pode tratar um pouco do jardim, passar algum tempo a brincar com o filho, e foi para a cama mais cedo.
A ruiva ficou também deliciada com esse tempinho extra. Aproveitou para uma curta aula no ginásio antes de se preparar para um encontro ao jantar.
A loura ficou contente por chegar a casa mais cedo e surpreender o marido, mas quando chegou ao quarto, ouviu vários sons abafados. Abrindo a porta lenta e silenciosamente, ficou mortificada por ver o marido com a sua chefe em grande ação na cama!
Suavemente fechou de novo a porta e saiu da casa.


No dia seguinte, durante uma pausa para o café, a morena e a ruiva planejavam sair de novo mais cedo e perguntaram à loura se ela queria fazer o mesmo.
- Nem pensar! - respondeu - Ontem quase a chefe me pega!"

2 de agosto de 2011

Em tempos de crise...

Não, meu blog não está virando um blog de piadas. Acontece que tenho recebido piadas bem criativas até e pra não ter que reencaminhar e por ventura esquecer de alguém, resolvi que vou publicar as melhores aqui.
Essa é uma "homenagem" aos americanos caloteiros comprometidos com o desenvolvimento de seu país:

"Dizem que essa história é VERÍDICA. O sujeito se chama Marc Faber, e é norte-americano. Ele é Analista de Investimentos e empresário. 
Em junho de 2008, quando o Governo Bush estudava lançar um projeto de ajuda à economia americana, Marc Faber encerrava seu boletim mensal com um comentário bem-humorado: 
'O Governo Federal está concedendo a cada um de nós uma bolsa de U$ 600,00.'
  
Se gastarmos esse dinheiro no supermercado Walt-Mart, esse dinheiro vai para a China. 
Se gastarmos com gasolina, vai para os árabes. 
Se comprarmos um computador, vai para a Índia. 
Se comprarmos frutas e vegetais, irá para o México, Honduras e Guatemala. 
Se comprarmos um bom carro, irá para a Alemanha ou Japão. 
Se comprarmos bugigangas, irá para Taiwan.... 


E nenhum centavo desse dinheiro ajudará a economia americana. O único meio de manter esse dinheiro na América é gastá-lo com prostitutas e cerveja, considerando que são os únicos bens ainda produzidos por aqui. Estou fazendo a minha parte... 
  
- Resposta de um brasileiro igualmente bem humorado: 
'Realmente a situação dos americanos parece cada vez pior. Lamento informar que, depois desse seu e-mail, a Budweiser foi comprada pela brasileira AmBev... portanto, restaram apenas as prostitutas. Porém, se elas (as prostitutas) repassarem parte da verba para seus filhos, o dinheiro virá para Brasília, onde existe a maior concentração de filhos da p... do mundo.'"